Documentos

Histórico

Autorizada em fevereiro de 2002, a FACIT, instituição de ensino superior privada, surgiu para suprir a carência de cursos superiores, na área de tecnologia, em todo o norte de Minas, vale do Jequitinhonha e sul da Bahia. Tendo como finalidade contribuir para a melhoria e a transformação da sociedade, a FACIT vem atendendo às aspirações e aos interesses dessa comunidade, ao promover o ensino com eficácia e qualidade, nos cursos de Engenharia de Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia Química, Engenharia de Telecomunicações e Engenharia de Produção.

O primeiro processo seletivo da FACIT foi realizado em julho de 2002 para os cursos de Engenharia de Controle e Automação e Engenharia de Computação. Em 2003, com a realização do segundo processo seletivo, foram iniciadas também as turmas de Engenharia de Telecomunicações e Engenharia Química. E em 2007 a primeira turma de Engenharia de Produção.

O ensino ministrado pela equipe da FACIT, composta de profissionais altamente qualificados e comprometidos com a filosofia da sua mantenedora, a Fundação Educacional Montes Claros, visa ao desenvolvimento das competências, habilidades e capacidades do homem-cidadão do século XXI.

A proposta pedagógica da FACIT tem como base cinco pilares: saber o saber, saber o fazer, saber ser, saber conviver e saber empreender. As práticas docentes são inovadoras e criativas, todas centradas na participação ativa do aluno, no seu processo de aprendizagem e no desenvolvimento de projetos, para que o aluno possa se envolver na busca e superação de desafios, aliando teoria à prática.

Essa abordagem inovadora propicia ao aluno muito mais do que simplesmente a aquisição de informações, de conhecimentos. Propicia-lhe oportunidades de desenvolvimento do seu pensamento analítico e abstrato, a flexibilidade do raciocínio, as competências sociais como liderança, iniciativa, capacidade de tomar decisões, de trabalhar em equipe de se comunicar com clareza, acessar os meios de comunicação e usar a informação acumulada para a ampliação e a produção de novos conhecimentos.

Além das aulas que são desenvolvidas nas salas e laboratórios, os alunos participam de atividades que complementam a sua formação como a monitoria, a iniciação científica, a incubadora de empresas – com o objetivo de promover condições que possibilitem ao aluno o desenvolvimento do seu potencial empreendedor – projeto social Juventude Cidadã, Projetos de Pesquisa financiados pela FAPEMIG e o Laboratório Integrado de Design e Engenharia de Produto – em parceria com o Departamento de Engenharia de Produção da UFMG -, Semana da Engenharia, Seminário da Interdisciplinaridade do Cálculo, Seminário de Iniciação Científica, Projeto Múltiplos, para fins de integralização curricular e o estágio supervisionado e Projeto de Graduação.

A FACIT está estruturada para atender com qualidade à demanda do mercado formando profissionais com sólido preparo científico e tecnológico, com capacidade de absorver novas tecnologias, aptos a agirem de forma crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, de desafios, e a participarem de forma ética e humanística da vida comunitária nos seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais. Profissionais que irão aprimorar o desenvolvimento científico e tecnológico da região e, através da pesquisa, possibilitar o desenvolvimento e a socialização de novas tecnologias entre os setores produtivos da nossa região.

A Comissão Própria de Avaliação da FACIT foi criada em 2004, obedecendo às diretrizes de participação igualitária de todos os segmentos da comunidade acadêmica e da sociedade civil. As instâncias representativas têm a mesma quantidade de membros na CPA. Ao ser criada em 2004, a CPA elaborou e aprovou o seu Projeto de Avaliação, que vem sendo revisado e atualizado periodicamente.


 

Objetivos

  • Conduzir os processos de avaliação interna da Instituição, sistematizar e prestar informações solicitadas pelo INEP, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, observada a legislação pertinente;
  • Envolver a comunidade acadêmica no processo de avaliação;
  • Construir e/ou consolidar um ambiente favorável à melhoria contínua das qualidades acadêmica e institucional;
  • Analisar os sentidos do conjunto de atividades e finalidades cumpridas pela Instituição;
  • Julgar as relevâncias científica e social de suas atividades e produtos;
  • Identificar fragilidades e potencialidades da Instituição nas dez dimensões previstas em lei;
  • Identificar as causas dos problemas e deficiências da Instituição;
  • Fortalecer as relações de cooperação entre os diversos atores institucionais;
  • Tornar mais efetiva a vinculação da Instituição com a comunidade;
  • Prestar contas à sociedade acerca dos processos de desenvolvimento institucional;
  • Cabe à CPA assessorar e acompanhar a elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da FACIT;
  • Em conjunto com os demais setores competentes, a CPA auxiliará na elaboração do plano de ações de melhorias e atualização, a partir dos resultados obtidos pela Autoavaliação Institucional, bem como a elaboração de relatório de acompanhamento e cumprimento das referidas ações.

 

Regimento


 

Lei nº 10.861 de 14 de abril de 2004

Segundo a Lei mencionada, a avaliação das instituições de educação superior terá por objetivo identificar o seu perfil e o significado de sua atuação, por meio de suas atividades, cursos, programas, projetos e setores, considerando as diferentes dimensões institucionais, dentre elas obrigatoriamente as seguintes:

 

I - A missão e o plano de desenvolvimento institucional;

 

II - A política para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas formas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de pesquisa, de monitoria e demais modalidades;

 

III - A responsabilidade social da instituição, considerada especialmente no que se refere à sua contribuição em relação à inclusão social, ao desenvolvimento econômico e social, à defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural; 

 

IV- A comunicação com a sociedade; 

 

V- As políticas de pessoal, as carreiras do corpo docente e do corpo técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho; 

 

VI- Organização e gestão da instituição, especialmente o funcionamento e representatividade dos colegiados, sua independência e autonomia na relação com a mantenedora, e a participação dos segmentos da comunidade universitária nos processos decisórios; 

 

VII- Infraestrutura física, especialmente a de ensino e de pesquisa, biblioteca, recursos de informação e comunicação; 

 

VIII - Planejamento e avaliação, especialmente os processos, resultados e eficácia da autoavaliação institucional; 

 

IX - Políticas de atendimento aos estudantes; 

 

X - Sustentabilidade financeira, tendo em vista o significado social da continuidade dos compromissos na oferta da educação superior. 

 

Lei nº 10.861 de 14 de abril de 2004


 

CONAES

A Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES é o órgão colegiado de coordenação e supervisão do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES, instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de Abril de 2004.

Lei nº 10.861, de 14 de Abril de 2004


 

SINAES

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) foi instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, com o objetivo de assegurar processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico de seus estudantes, e fundamenta-se na necessidade de promover a melhoria da qualidade da educação superior, a orientação da expansão da oferta, o aumento permanente da sua eficácia institucional, da sua efetividade acadêmica e social e, especialmente, do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades.

Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) é formado por três componentes principais: a avaliação das instituições, dos cursos e do desempenho dos estudantes. O Sinaes avalia todos os aspectos que giram em torno desses três eixos, principalmente o ensino, a pesquisa, a extensão, a responsabilidade social, o desempenho dos alunos, a gestão da instituição, o corpo docente e as instalações.

Os principais objetivos da avaliação envolvem melhorar o mérito e o valor das instituições, áreas, cursos e programas, nas dimensões de ensino, pesquisa, extensão, gestão e formação; melhorar a qualidade da educação superior e orientar a expansão da oferta, além de promover a responsabilidade social das IES, respeitando a identidade institucional e a autonomia de cada organização.

 


Localização

Dê dois cliques sobre o mapa para ampliá-lo.

Campus I –

Praça da Tecnologia, 77 – Bairro: São João – Montes Claros/MG – CEP: 39400-307

E-mail: femc@femc.edu.br                   Telefones: (38)2104.5707 / 2104.5706

 

Dê dois cliques sobre o mapa para ampliá-lo.

 

Campus II –

Av. Deputado Esteves Rodrigues, 1637 – Bairro: Centro - Montes Claros/MG – CEP:

E-mail: femc@femc.edu.br                   Telefones: (38)4009.5777 / 4009.5759

Faculdade de Ciência e Tecnologia

Desenvolvido por Edson Dota